PALAVRAS NO CONTA-GOTAS

Uma vez ao dia antes de dormir. Receita homeopática, desce como água. Só não pode escovar os dentes depois, senão estraga.
Exercício literário : abra a boca e pingue uma duas três quatro gotas. Não esqueça de fechar o frasco, ou as aspas. Algumas vezes, a gota que deveria pingar como gota vira bolha na ponta do gonta-gotas e explode. Essa não pode ser considerada palavra bebida, tome mais uma. Aconteceu isso ontem, a caneta explodiu quase no nariz, engoli cação, rizoma, argila e ponto. Ainda não tive a sorte de ingerir palavras compostas, que parecem ter melhor efeito que palavras simples. O frasco é português, do Brasil, e deve ser conservado em lugar seco, ao abrigo da luz, pois pode dar revertério na composição. Kompremda qui palavrias ção phormadas pur letrias. Devemos seguir a regra da bula e do médico tintin por tintin e não misturar lé com cré.
Com a tinta na ponta do nariz, o cação, o rizoma, a argila e o ponto descendo pela garganta, o sono chega…
…O mundo nasceu de um rizoma fincado numa bola de argila quase seca. Quando chove, se chove, a bola incha e o rizoma cresce. Acontece que tem que chover na medida para o rizoma crescer, pois caso chova em demasia a argila vira lamaceiro e dentro da lama vive o caos, que é peixe cação adormecido esperando a poça se formar para rizomas devorar. Se chove de menos, dentro da bola tudo continua duro como pedra, como um ponto final que não precisa crescer para se transformar em outra coisa. Não foi do ponto que tudo virou mundo. E o caos reina porque o cação anda solto por aí. Pro rizoma a chuva no conta-gotas é a melhor coisa, como palavras no conta-gotas: nem mais nem menos. Senão estraga.

Comentários

Postagens mais visitadas